Entrevista para o pessoal da TecnicEdif+

Publicado por TecnicEdif em 
Acessar post original do site – Clique aqui

Entrevista com Pedro Henrique, coordenador de implantação BIM e software livres, fundador da HR Compacta

Com o objetivo de levar a você informações e conhecimentos novos conversamos com Pedro Henrique a respeito de Softwares Livres, Freecad, BIM e muito mais;

Hoje, conversaremos com Pedro Henrique, coordenador de implantação BIM e software livres, fundador da HR Compacta, graduado em gestão empresarial e com especializações técnicas em dificações, informática, logística e transações imobiliárias. É um imenso prazer conversar contigo, primeiramente gostaria de saber como surgiu a HR Compacta? E como é a experiência de ensinar e auxiliar a implementação de um fluxo de trabalho baseado em softwares livres?

“ Agradeço o convite do portal Técnic Edif+, principalmente devido a proposta ideológica deste projeto. E falar sobre como surgiu a HR Compacta é quase falar da minha vida acadêmica e profissional, pois tudo se conecta devido a minha personalidade que digamos é empreendedora, tendo desde os 15 anos diversas experiências de projetos em várias áreas. Mas em resumo tive dois projetos tocados em paralelo durante uma época, onde um era Compacta Soluções, que prestava consultoria empresarial com foco em gerenciamento eletrônico de documentos (GED) e consultoria de negócios e o outro projeto que foi na área imobiliária começando com corretagem, HR Imóveis, que consequentemente se tornou HR Edificações em BIM para poder divulgar meus trabalhos como técnico em edificações. Acontece que assim que terminei o curso, tive que me remodelar para se manter no mercado da construção, pois encerrou as licenças de versão estudante de diversos softwares como Autodesk Revit, Autodesk AutoCAD e as licenças destes software proprietários são caros, até que meu pai, que é consultor na área de TI, me apresentou o FreeCAD, software open source e que não há custo de licença. No começo até fiquei relutante, mas busquei aprender e vi a grande dificuldade para aprender a usar, pois busquei tutoriais, fóruns de pessoas de outros países como japonês, indiano, alemão e por aí vai. Com isso, devido essa escassez de conteúdo brasileiro tomei a iniciativa de ensinar o uso do software. Logo percebi que com o passar do tempo estava surgindo um novo projeto que era basicamente a fusão dos meus projetos anteriores. Surgindo assim a HR Compacta que hoje tem mais de 80 alunos espalhados pelo Brasil e também de outros países. No decorrer desta entrevista certamente vou explorar muito mais esse projeto com vocês.

Na questão de montar um fluxo de trabalho de softwares livres já vinha com o passar dos anos a adoção, pois por ser formado também como técnico em informática, sei o quanto é complexo o trabalho de se desenvolver softwares, além de ética profissional temos a questão de que crackear (piratear) é crime, possivelmente o profissional que adota este tipo de ecossistema corre o risco maior de ter além de seus dados pessoais expostos, ser penalizado pela lei recebendo uma multa alta e até correndo o risco de uma prisão. Desta forma passei a adotar softwares livres como ProjectLibre para montagem de cronograma de projeto, Google Docs / Libre Office como alternativa ao pacote Microsoft Office, Krita para edição de imagens também como alternativa aos pacotes da Adobe e assim foi fluindo a adoção até chegar ao ponto de mudar meu sistema operacional Windows para Linux Ubuntu. Quando mencionamos sobre o fluxo de trabalho baseado no ecossistema de softwares livres, vamos muito além de redução de custos e de dormir tranquilamente sem riscos, pois é mudar a sua forma mental de se trabalhar. Adotar rotina open-source, é adotar um novo papel dentro da sociedade, que envolve muito mais que usar softwares sem ter que mexer em seu bolso, ou seja, ter sim um papel de colaborador dentro da comunidade, onde um ajuda o outro, seja de qualquer maneira que estiver ao alcance da pessoa. Tem quem tenha condições financeiras para entrar em grupos de membros dos desenvolvedores pagando mensalmente um valor como incentivo, ou com você divulgando o software e seus recursos atualizados, há também as de participação em comunidade compartilhando novas conquistas, novas habilidades com alguma ferramenta e por aí segue as diversas formas de colaborar. Entretanto a nossa rotina, e mentalidade, também mudam quando se aplica o open-source, ocorre que você acaba levando esse conceito para outros cenários, como é o recente “boom” no mercado financeiro, as criptomoedas, que são uma forma de sistema financeiro descentralizado, que trazendo para nosso foco (softwares de projetos), é você sair do monopólio de uma determinada empresa de software que além de você pagar (mensal ou anual, ou agora em Tokens diários), retém também cópias de seus dados. Ou seja, é ser livre e dono real de seus dados. ” Pedro Henrique

A HR Compacta conta com cursos de conteúdo abrangente sobre o uso do Freecad em projetos, como surgiu a ideia de ensinar as pessoas sobre o uso desse excelente software?

“ Como abordei logo no começo, falar da HR Compacta basicamente é falar de uma trajetória que tem diversas ramificações que levaram a união deste projeto. Além da minha experiência diretamente em aprender, pude conhecer um grupo de profissionais e entusiastas do software que trocavam informações, até que num certo momento após eu colaborar ensinando um dos colegas do grupo recebi diversos incentivos em criar o canal no YouTube e assim sendo não pude perder essa oportunidade e pude mergulhar de vez e ter o reconhecimento também das comunidades do software de outros países. Sobre os cursos que vocês podem encontrar em nosso site, foi um projeto que senti a necessidade de entrar nos detalhes do desenvolvimento de um projeto, certamente também sempre gostei de ensinar e assim com a parceria com a Uncover Systems criar uma plataforma própria para fugir das altas taxas das plataformas de ensino e assim dar a acessibilidade aos interessados que buscam se aprofundar no desenvolvimento de projetos usando o FreeCAD. ” Pedro Henrique

Quando começou o seu interesse pelos softwares livres e o que mudou neste segmento(softwares de código aberto) desde então?

“ O começo basicamente foi totalmente para redução de custos em um primeiro momento, e que começou com outros softwares. Falar sobre a mudança dentro deste ecossistema, é basicamente ver com os próprios olhos a mudança mental de como é abordado o tema. Pois culturalmente, não apenas no Brasil, usar softwares livres ou até mesmo o Linux era considerado uma pessoa leiga ou que era voltado apenas para profissionais desenvolvedores na área da TI. E com o passar do tempo, o custo dos softwares e a grande quantidade de intimações em escritórios por uso de software crackeado, passaram a olhar os softwares livres com mais compaixão tendo em vista também que por muito tempo esses softwares não tinham um certo ambiente amigável para se trabalhar e ao buscar aprender usavam se muitos termos técnicos e códigos, o que fazia afastar o uso dessas opções. Então a mudança para esse segmento está sendo a ambientalização amigável aos softwares. ” Pedro Henrique

Quais dicas, sugestões e indicações faria a algum profissional ou estudante de edificações que está começando sua jornada?

“ Minha orientação para os profissionais que já estão no mercado de trabalho seria analisar a sua situação atual caso você é um contratado, ou se você é um profissional que tem seu próprio escritório de projetos, visualize os custos fazendo a equação de quantos projetos são necessários para cobrir os custos de todas as licenças de software; para que até então vocês com essas visões possam refletir e adotar em paralelo o uso dos softwares livres em fluxos de trabalho. Já para quem é estudante, aproveite sim para aprender a usar os software proprietários que a instituição tem parceria, mas em paralelo apliquem o uso destes softwares livres no decorrer dos projetos, para que assim você possa se manter em atividade dentro do mercado da construção podendo atuar por conta própria ou até mesmo para colaborar na redução de custos do escritório de projetos que lhe contratar e não quiser arcar com as licenças. ” Pedro Henrique

Você além de corretor, também é técnico em edificações, como é sua visão sobre a atuação nessas duas funções?

“ No caso da área de corretagem já deixei de lado por um tempo. A visão de atuação de ambos é basicamente única, gerar a concretização do sonho do cliente. É entender as necessidades, a vida do cliente e assim proporcionar a ele experiências de realizações. Seja para vender o imóvel já pronto, ou na planta como também desenvolver a casa dos sonhos. E fazer isso é mais do que trabalhar com vendas, é sim trabalhar com pessoas, ou seja, é ajudar a realizar os planos da melhor maneira. Brinco que ser corretor de imóveis ou ser um projetista vendendo seu projeto tem que entender muito também da gestão financeira, e colaborar com o cliente na elaboração de um planejamento econômico e de forma acessível ao cliente para então ter a sua casa própria. ” Pedro Henrique

A tecnologia tem possibilitado coisas incríveis na engenharia, na arquitetura, softwares como revit, sketchup, sempre são lembrados. Porém, não são alternativas viáveis para muitos dos profissionais que se formam no segmento da construção civil. Muitos recorrem a pirataria, mas softwares de código aberto como o Freecad, o Blender, mostram que é possível desenvolver projetos de extrema qualidade. Como fazer os softwares livres chegarem a mais pessoas?

“ De fato esse é um dos maiores desafios que tenho, pois não é apenas ter um canal no YouTube, ou ter cursos, ou dar palestras expondo o potencial destes softwares, é necessário mudar a cultura enraizada sobre o preconceito criado para quem adota esse ecossistema. Entretanto é de conhecimento que não adianta apenas bater nas portas das instituições de ensino, pois muitos têm contratos com empresas de software proprietário que são longos e com multas. Mas sim instruir e propagar as questões das experiências vividas com o ecossistema livre, demonstrando projetos tirados diretamente deste fluxo de trabalho, pois sabemos que muitos adotam a filosofia de São Tomé, onde tem que ver com os próprios olhos para acreditar. E assim os poucos profissionais que já estão adotando e colaborando na propagação destes projetos vão ser peças fundamentais para que mais instituições vejam que a aplicação deste ecossistema é fluída e sustentável. ” Pedro Henrique

O BIM além de lidar com a modelagem dos projetos, também possibilita o gerenciamento de projetos. Quais são as vantagens que um profissional da construção civil terá em implementar nos seus projetos o BIM?

“ Falar de BIM hoje é algo que gera diversas visões distorcidas sobre a metodologia, o que faz com que vejamos profissionais dizerem que a elaboração de mobílias planejadas são BIM, o que é muito errado. Acredito que o assunto é muito complexo devido a sua distorção proporcionada nos últimos anos pelo real conhecimento, que entretanto sobre as vantagens que podemos sentir é a redução da interoperabilidade não de apenas de software, mas sim da comunicação. Tenho um artigo em meu LinkedIn que acredito que consiga exemplificar esse tema da interoperabilidade comunicativa.

Link do artigo: Como se comunicar em BIM – HRCOMPACTA

Como bem ressaltado, ter um projeto em BIM vai muito além da modelagem 3D, claro que para a migração em um primeiro momento seja estressante e até mesmo desanimador devido aos retrabalhos iniciais, o fator principal do BIM não é apenas o controle da obra, seja financeiro, logístico ou mão de obra, mas também da sustentabilidade do projeto. E quando abordo essa palavra não é nas questões apenas ambiental, mas também de agilizar etapas nos canteiros de obras. E outro ponto que gosto de abordar ao falar de BIM é que ele nos permite pensar na obra antes do canteiro e o pós obra com alguém morando, para evitar manutenções complexas ou até acidentes. ” Pedro Henrique

Gostaria de agradecer o tempo que concedeu para a iniciativa Técnic Edif+, para encerrarmos nossa entrevista gostaria de saber o que achou de conversar conosco?

“ Eu gostaria de agradecer essa oportunidade e apoio na divulgação de uso de softwares livres; aproveitando o momento para também lhe convidar para uma live para que você possa expor a iniciativa Técnic Edif+, será um enorme prazer. ” Pedro Henrique

5,0 rating based on 255 ratings

5,0 rating based on 255 ratings

Por Pedro Henrique

Atuo como Mentor de Implantação BIM apaixonado por disseminar o conhecimento e impulsionar a indústria da construção civil rumo ao futuro. Fundei a HR Compacta, uma empresa que oferece mentoria, cursos e palestras especializadas no uso de softwares livres, como o FreeCAD, dentro da metodologia BIM. Minha formação abrange Gestão Empresarial, Edificações, Programação e Transação Imobiliária, e sou membro da Comissão de Estudo Especial de BIM da ABNT - CEE_134.

2 thoughts on "Entrevista para o pessoal da TecnicEdif+"

  1. Foi uma honra te entrevistar e espero está conversando em breve contigo para acertarmos a live.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *