Para quem é o FreeCAD

Inicialmente poderia muito bem vir aqui e confrontar se você ainda quer continuar investindo valores altos em softwares que não tem atualização ou pôr em risco seus dados pessoais ou até mesmo da sua empresa usando o software crackeado. Acontece que embora neste artigo vou abordar especificamente sobre o FreeCAD, o mesmo vale para outros softwares open-source como Krita, Inkscape, Blender, LibreOffice e por aí segue a lista. Então trarei na verdade uma compilação do que a ferramenta tem a lhe oferecer.

No FreeCAD por si só ele ele é muito mais que software, é uma verdadeira plataforma de modelagem 3D, onde é desenvolvido colaborativamente, e mais que isso, ele ainda atende as licenças LGPL ( Lesser General Public License – Licença Pública Geral Menor ), ou seja em resumo permite que modifique o código para sua própria melhoria. Destaco aqui que o FreeCAD é literalmente livre, sem restrições.

Como me referi anteriormente, a plataforma FreeCAD ele tem dentro de si leque de variedades de ferramentas, e por ser de modelagem 3D ele lhe permite desenvolver muito mais que peças mecânicas, peças para impressão 3D, como você podem ter visto na aba de cursos do site, projetar casas e até desenvolver projetos de aviões e navios dentro dele. Acontece que para isso é necessário conhecer as famosas bancadas de trabalho que facilitam assim o manuseio.

Voltado para construção civil, uma das principais bancadas dentro da plataforma é a BIM, que permite desenvolver projetos arquitetônicos, estruturais (incluindo a análise de carga e seus detalhamentos), tem parte de elétrica e hidráulica, desenvolvimento de pranchas, e até das tabelas quantitativas. Acontece que a sua adaptação requer quebrar vícios de softwares, isso explico como foi meu processo no artigo “Despedida do Revit”.

Acontece que quem busca adotar a plataforma FreeCAD como padrão requer estudos, requer paciência, pois dentre as diversas bancadas de trabalho há ainda por vir muitas atualizações e amadurecimentos que como explico no outro artigo “adote o Open em sua rotina” lá demonstro que não é apenas instalar um software requer também uma mudança no seus modos sendo mais colaborativos.

Acrescento aqui que adotar o FreeCAD é quebrar paradigmas, que a própria cultura empresarial e até estudantil tem do uso de softwares open source. Ocorre que há a visão de que usar esses tipos de softwares é deixar público os arquivos e que também está associado a software de baixa qualidade e sem segurança, onde o correto é o oposto, você é quem detém posse dos seus arquivos e de seus dados e mais com manuseio e conhecimento adequado ele se torna um software muito mais robusto que os pagos.

Para fechar, o que trago aqui é que a plataforma FreeCAD consegue aplicar tudo e muito mais que outros softwares ainda não tem, ou quando tiverem, a companhia certamente criará outro software para que você gaste dinheiro. Mas com o FreeCAD a situação é diferente, nela você tem liberdade, segurança, comunidade ativa, e a experiência real da interoperabilidade de software, pois com a plataforma você conseguirá abrir e salvar arquivos em qualquer formato. Mas afinal, você está aberto para esse conceito de colaboração?

5,0 rating based on 201 ratings

5,0 rating based on 201 ratings

Por Pedro Henrique

Atuo como Mentor de Implantação BIM apaixonado por disseminar o conhecimento e impulsionar a indústria da construção civil rumo ao futuro. Fundei a HR Compacta, uma empresa que oferece mentoria, cursos e palestras especializadas no uso de softwares livres, como o FreeCAD, dentro da metodologia BIM. Minha formação abrange Gestão Empresarial, Edificações, Programação e Transação Imobiliária, e sou membro da Comissão de Estudo Especial de BIM da ABNT - CEE_134.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *